domingo, 9 de maio de 2010

* A CLASSE MÉDIA QUER BARCO

As facilidades de compra em até 60 vezes, com juros atrativos e prestações que cabem no bolso, tão comuns no mercado de automóveis, chegam também ao setor náutico. Com mais benefícios, os empresários querem desmistificar o conceito de que só milionários podem adquirir uma lancha.

Luís Gilberto Vargas Martins, dono da revenda Mega Jets & Boats, comercializa barcos com valores entre R$ 30 mil e R$ 280 mil, mas tem nas lanchas de até R$ 80 mil o principal mercado.

– Esses barcos representam 70% das minhas vendas – afirma.

Com a possibilidade de dividir as prestações em até 36 meses, Martins afirma que os negócios aumentaram.

– O mercado mudou muito, principalmente por aqui. Florianópolis não tinha tradição na área náutica. Porto Alegre, por exemplo, tem quase mais barcos que o nosso Estado. A boa notícia é que isso tem se transformado.

E um dos motivos desta mudança é justamente as facilidades oferecidas na hora de adquirir um barco.

A fabricante catarinense Fibralux vende lanchas com valores entre R$ 35 mil e R$ 180 mil, que podem ser financiados em até 60 meses (cinco anos), com juros que giram em torno de 1,8% ao mês. O proprietário, Leonardo Rocha, afirma que 60% dos negócios são feitos em prestações.

– Antes, quem tinha lancha era considerado milionário. Hoje temos barcos ao custo de um carro popular.

Por conta dessa mudança de pensamento do consumidor, Rocha diz que suas vendas prosperaram. A expectativa do empresário é de que o crescimento chegue a 20% este ano.

Consórcio com cem meses de duração

Quem também está otimista é o dono da revendedora Via Náutica, com sede em São José, na Grande Florianópolis, Zamir Pedro Pereira.

Ele espera uma expansão de 30% nos negócios este ano na comparação com 2008 e acredita que as facilidades para o pagamento dos barcos, na faixa entre R$ 30 mil e R$ 500 mil, devem ajudar a confirmar a projeção.

– Os barcos de menor valor são os que têm maior volume de produção e, por consequência, os que mais vendem. Eles representam 50% dos meus negócios e a procura aumenta a cada dia – observa.

Quem tem prazer em estar em contato com o mar mas não possui R$ 30 mil para adquirir uma lancha de maior porte tem a opção de comprar um barco inflável com preços a partir de R$ 2 mil.

José Roberto Strabelli, da Euro.Flex, fabrica barcos nesse perfil há mais de 30 anos. O mais barato, de 1,8 metro, custa R$ 2,27 mil, parcelável em seis vezes. Percebendo o crescimento dessa forma de pagamento, a franquia catarinense da Rondon Consórcios, empresa que atua em cinco estados, lançou um Consórcio Náutico com cartas de crédito entre R$ 80 mil e R$ 280 mil que podem ser pagas em até cem meses.

Com elas, é possível adquirir embarcações a motor em qualquer parte do país. O funcionário público Luiz Gonzaga Eller pretende trocar o barco que possui há 30 anos por um novo de até 26 pés e pensa em recorrer ao consórcio.

– É uma excelente oportunidade de fazer negócio e realizar um sonho.

Fonte: Diario Catarinense

POR: GRAZIELE DAL - BÓ E-mail: graziele.bo@diario.com.br 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...