sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

* MARINHEIROS HOMENS DO MAR

COMO ESCOLHER UM BOM MARINHEIRO E, ASSIM, NÃO DEIXAR SEUS PASSEIOS IREM POR AGUA ABAIXO.

Por: Otto Aquino repórter da revista Náutica
otto@nautica.com.br 

Na época das caravelas, os marujos eram contratados de varias formas. Alguns embarcavam por vontade própria ou por estimulo das famílias com alguma tradição marítima. Outro por sede de aventura, mera circunstancia, falta de emprego melhor ou, pior ainda, por puro acidente: quando acordavam da bebedeira, o navio já ia longe no mar... Havia, também, os quem embarcavam para diminuir o tempo cadeia ou mesmo para escapar da forca. Hoje é claro, não e mais assim. Pelo contrário, ser marinheiro virou uma profissão seria e que, por isso mesmo, exige uma serie de pré-requisitos de seus candidatos.

Afinal, como quase sempre acontece num barco de passeio, a maioria dos preparativos para a alegre saída de fim de semana com a qualificada, seu lazer começara a ir por água a abaixo mesmo antes de começar. E, pior: se, uma vez na água, ele não souber como lidar com uma situação de risco, ai, então, você estará perdido.

Por tudo isso, contratar um bom marinheiro não é tão simples quanto escolher um eficiente empregado domestico, é bem mais complexo e veja aqui por que.

1 - A EXPERIÊNCIA
Sem dúvidas, é o ponto a ser visto. Ao analisar as anteriores de seu candidato, leve em conta o tipo de embarcação em que ele já trabalhou, o tempo de embarque, como era o seu antigo patrão. Às vezes, três meses de embarque num veleiro no Caribe significam muito mais do um ano inteiro numa escuna que ficou parada lá no fundo da marina.

2 - A CONFIANÇA
A mais importante entre todas as qualidades necessárias. Afinal, você estará entregando seu patrimônio nas mãos de alguém que deve saber como mante-lo em perfeito estado. Alem disso, quando você não estiver presente, caberá a ele cuidar da segurança dos passageiros a bordo.

3 - O HORÁRIO
A disponibilidade de tempo fator preponderante. Salvo acordos prévios, o marinheiro deve estar sempre disponível e na escuta permanente, portanto, de preferência, um telefone celular. Mas não esqueça de libera-lo quando tiver certeza de que não precisara de seus trabalhos por algum tempo.

4 - A CAPACIDADE
Como dizem os velhos lobos-do-mar: “Não tenha um pato a bordo, pois ele voa mal, nada mal e anda mal.” Ou seja, um pato sabe fazer muitas coisas, mas nenhuma bem! Por isso, se você quiser ter marinheiro a bordo que também, seja mecânico, eletricista, pintor e carpinteiro, tudo ao mesmo tempo, melhor montar logo um estaleiro.

5 - A LIMPEZA
A maioria esmagadora do barco é branca. Se barco sujo agradar você, então compre logo um rebocador. Por isso, não apenas o barco, mas também a tripulação deve espelhar o modo com que as coisas andam a bordo e até o quanto o seu proprietário é uma pessoa séria, organizada e, sobre tudo consciente. Barco sujo é sinal de gente relaxada. E isso não combina com segurança.

6 - A FORMAÇÃO
No Brasil, já existem cursos de formação e aprimoramento de marinheiros para navegar até em grades barcos. Alem disso, é necessário um mínimo de escolaridade, alem da carteira de arrais, mestre ou capitão amador, dependendo de onde se pretende navegar.

7 - CARÁTER
Honestidade não pode medir numa simples olhada. Mas o convívio e o trato pessoal vão moldar as relações patrão-empregado, para que se mantenha em equilíbrio uma relação de respeito e confiança.

8 - O SALÁRIO
O que você quer: um barco limpo, organizado e funcionando, com marinheiro disposto a atendê-lo o tempo todo? Ou uma operação tartaruga, com pouco caso e cara emburrada? Em média, um marinheiro que conheça como ninguém a costa brasileira e o funcionamento de um barco ganha cerca de R$ 4.000,00 já os iniciantes sem experiência ganham cerca de R$500,00.

9 - A TRANQÜILIDADE
Dê preferência aos candidatos serenos, principalmente em situações adversas, bons ouvintes e que não oscilem muito de humor.

10 - OS HÁBITOS
Marinheiros com vícios, como bebida, perfumes fortes, cigarro e que falam gírias não são nada agradáveis a bordo.

O QUE UM BOM MARINHEIRO PRECISA SABER:

LAVAR O BARCO
Não importa se o barco já tiver molhado ou se passou o dia inteiro dentro dágua: Depois de usa-lo é preciso, sempre, lava-lo! E com água doce mesmo que seu uso tenha sido no mais limpos dos rios. Guardar um barco sem, no mínimo, uma mangueira de água limpa é pedir para que ele dure pouco.

FAZER NÓS
Todo marinheiro precisa saber fazer bons nós, seja para atracar, prender, prender as defensas ou fazer um reboque. É tão importante a bordo, que não seria má Idea se você mesmo aprendesse a fazer todos eles.

APLICAR PRIMEIROS SOCORROS
Ninguém esta livre de um imprevisto. E acidentes acontecem, principalmente nas brincadeiras na água. Por isso, todo marinheiro deve manter o kit de primeiros socorros de bordo em ordem e, se possível, saber fazer os primeiros atendimentos.

ATRACAR SEM TRINCAR
Não importa o vento nem a correnteza. Sempre deve existir uma maneira de parar o barco sem danificar o casco. E um bom marinheiro precisa saber como ninguém o jeito certo de parar a embarcação em qualquer lugar.

NAVEGAR A NOITE OU COM MAU TEMPO
Apesar de não haver diferença entre navegar de dia ou a noite, é aconselhável que um marinheiro faça pelo menos algumas travessias noturnas, para adquirir experiências, alem disso, ele precisa saber lidar com o mau tempo e conhecer bem a região onde mas navegará.

OPERAR ELETRÔNICOS
Hoje, há tantos modelos de GPS no mercado, que fica difícil saber operar bem todos eles. Mas é fundamental que o marinheiro conheça, pelo menos, o funcionamento básico de um GPS, radar e sonda. E se o GPS pifar – o que não é raro assim – deve saber recorrer à tradicional bússola.

DEIXAR O BARCO SEMPRE PRONTO PARA PARTIR
As vésperas dos fins de semana, o marinheiro precisa fazer uma revisão básica, alem de arejamento de estofados internos e limpeza geral, desde o porão. E, periodicamente (Geralmente, antes das férias de verão), algo bem completo, como limpeza, pintura e polimento do casco, revisão de motores, limpeza de tubulações de combustível e dos tanques de combustível e de água. Por isso, é muito desejável que ele tenha boas noções de partes elétrica e mecânica a bordo. 

PREVINIR CONTRA INCÊNDIOS
Fogo é pior coisa que pode acontecer a bordo de um barco. É melhor maneira evita-lo é redrobando os cuidados na prevenção. Cabe a o marinheiro fazer isso. E, no caso de um principio de incêndio, saber lidar com a situação.

E COMO ESCOLHER UM PATRÃO

O que todo marinheiro precisa saber para se prevenir.

Levante informações sobre seu futuro patrão com outros marinheiro e donos de barco. Descubra sua solides financeira e posição social. Sua estabilidade salarial para depender disso.

Tente conversar com antigos marinheiros dele e descubra hábitos, virtudes e defeitos. Detalhes quanto mais ex-marinheiros ele tiver,pior.

Cuidado com aqueles que saem contratando apenas no comecinho do verão. Geralmente, costumam dispensar os serviços do marinheiro quando acaba a temporada.

Trate todos os detalhes do emprego antes de assumir o trabalho. Uma vez a bordo, fica mais difícil mudar as regras do jogo.

Se você for marinheiro novo na profissão, ai vai um conselho: esqueça sábados, domingos, carnaval, natal e ano-novo. Muito provavelmente é quando você mais irá trabalha.

CÂMBIO! CÂMBIO!

As 10 regras básicas para quando falar no radio.

Quem navega sabe da importância de um radio VHF a bordo, ora para se comunicar com a Marina, ora para trocar informações com outros barcos. Porém, por falta de pratica, muitos marinheiros mal conseguem transmitir uma informação por inteiro. Outros até esquecem que o radio é um instrumento de trabalho. Para minimizar o problema, o comandante Armando Martins, que comanda um centro de treinamento para novos marinheiros na marina Verolme, em angra dos reis, criou um curso com procedimentos corretos de uma transmissão via radio VHF. 

Confira 10 deles:

1- Não interrompa quem esta transmitindo ao menos que seja uma emergência.
2- As conversas devem ser curtas, mas sem prejudicar as clarezas das mensagens.
3- Fale diretamente ao microfone, com ele a cerca de 10 centímetros da boca.
4- Fale claro e devagar, dando a mesma entonação a todas as palavras.
5- Sempre comunique sua saída e destino á estação central da marina.
6- Não grite! As palavras sofrem distorções e deixam a mensagem incompreensível.
7- Durante transmissões longas, faça pausas para facilitar a compreensão.
8- Nunca use o canal 16 e 68 para trocar mensagens. Eles são apenas para chamadas.
9- Quando a mensagem for recebida, diga ao final apenas: “ciente” ou “entendido”.
10- Para terminar a conversa, adicione ao final de sua ultima fala a expressão “é só”.

Como conviver bem com o Marinheiro que você tem:

Não é nada difícil, basta instrui-lo previamente sobre...

APRESENTAÇÃO 
Marinheiros devem vestir-se bem de branco ou de uniformes com o nome do barco marcado nele. 

FOLGAS
Como barcos são usados basicamente nos fins de semana, faça a folga dele coincidir com a da própria marina. Assim o trabalho não parara. E após os passeiosssss, garanta a ele pelo menos oito horas de descanço, antes de partir novamente. Quantos as Férias seja inflexível só em épocas diferentes das suas, é lógico. 

REFEIÇÕES
Muitos restaurantes servem refeições especiais para tripulantes. Mas convém sempre a bordo pratos congelados e sanduíches. 

CONVIDADOS
Instrua o marinheiro a informar (com jeitinho...) os convidados sobre procedimentos básicos a bordo. Como tirar os sapatos, não fumar dentro da cabine e o uso correto do vaso sanitário!

BEBIDAS
Por mais que seja liberal, jamais permita que o marinheiro beba a bordo. Pois alguém terá que voltar do passeio com o barco e isto é função dele! Vale, também, para quando o barco estiver ancorado. 

CURSOS
O Senai, estaleiros e fabricantes de equipamentos promovem cursos periódicos de atualização e formação de marinheiros. Estimule o seu a faze-lo e a manter-se bem informado.

TAREFAS
Um bom marinheiro não deve saber só navegar, (mas também limpar e cuidar do barco inclusive mergulhando para inspecionar o casco). Cozinhar, preparar petiscos e saber servi-los também é desejável.


O SITE DO MARINHEIRO

Assim como a maioria das profissões, os marinheiros particulares também tem um site só para eles. No www.neybroker.com.br , podem apresentar currículos, contar aventuras, trocar experiência e até postar fotos de passeios. Há mais de 10 anos, ele é o ponto de encontro dos marinheiros na internet. 

Alem disso, ainda oferece previsão do tempo e lista com os donos de barcos navegarem, em busca de um bom profissional.

Edição numero 209 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...