sábado, 16 de abril de 2005

* POR MARES NUNCA DANTES NAVEGADO

Agradecimentos a Revista Nautica 

Nós Marinheiros Particulares só aparecemos em Revistas, Jornais, Rádios, Televisões e outros meios de comunicação, somente quando se envolvemos em algum tipo de acidentes com embarcações envolvendo vitimas. 

Alguns nos chamam de Profissionais, Marujos, Amadores, Domesticos ou somente de Marinheiros. Vale lembrar que trabalhamos e somos responsáveis por barcos, veleiros e Yates de valores altíssimos (Yate de luxo de até $ 20.000.000,00 (vinte milhões de dólares)),e proporcionamos dias inesquecíveis para os proprietarios de barcos, seus familiares e convidados. 

Oferecemos segurança a navegação, dando valor as vidas que transportamos e temos essa profissão com muito zelo, amor e respeito, afinal e dela que sai o pão que vai a mesa de nossas famílias. 

Sabemos que temos muito que aprender e que existe uma minoria que se diz “marinheiro” e acaba abalando um pouco a nossa categoria. Mas não desistimos nunca e estamos sempre nos atualizando.

Estamos ciente que um futuro digno virá e o reconhecimento total pelos nossos direitos   também. Ja somos reconhecidos pelo ministério do trabalho e vamos continuar lutando  para ser reconhecido como profissionais de alto Nível. 

A Revista Náutica publicou algumas matérias sobre nossa profissão. Afinal ela sabe que fazemos parte desse “quebra cabeça” que é o mercado náutico de esporte e recreio. 

Gostaria de agradecer a Revista Náutica pela publicação dessas duas matérias ( abaixo ) que falam sobre os Marinheiros Particulares e foi muito comentada na epoca.

1 - Abaixo uma matéria da pagina 23 da Revista Náutica numero 167 

MARINHEIROS DE MUITAS VIAJENS 

Após comandar mais de vinte barcos, Luiz Carlos de Andrade, de 37 anos, não faz nem Idéia de quantas milhas já percorreu pela consta brasileira. Atualmente, ele trabalha em um barco de lazer, realizando viagens de curta duração. Casado e pai de dois filhos, Luiz conta já ter ficado mais de um mês longe de casa. “É um trabalho que exige dedicação e muita concentração” , explica. Nascido em São Sebastião, litoral norte de São Paulo, ele diz acostumado ao contato com o oceano: “O mar é lindo! Não tenho medo de dias cabulosos, o importante é saber respeitar”. 

Luiz: dedicação ao trabalho no mar 

2 - Abaixo a Matéria da pagina 82 da Revista Náutica nº167

MÃO-DE-OBRA COMPETENTE 

A primeira turma do curso da Marina Verolme: aulas em Angra dos Reis para marinheiros e proprietários de barcos. 

Fonte: www.nautica.com.br revista náutica edição nº167 

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...